Além dos fundadores e investidores do Whatsapp, quem também lucrou com a venda desse para o Facebook foram os concorrentes: além do Viber, o russo Telegram ganhou quase 5 milhões de novos usuários em um único dia.
teaser telegram
Privado, seguro, gratuito e livre / © Telegram
O grande diferencial do Telegram é sua criptografia, que os desenvolvedores garantem ser à prova de hackers: os irmãos que o fizeram oferecem uma recompensa de 200 000 dólares para quem conseguir quebrar a criptografia do app. Além do foco em privacidade, o app promete sergratuito para sempre, sem taxas e sem ads - ainda não entendi como isso funciona, na verdade. O código do Telegram é aberto, não há limite de tamanho para arquivos e mensagens e todas as mensagens são guardadas na nuvem, ou seja, é possível acessá-las de qualquer dispositivo. O app também promete ser mais rápido que qualquer outro.
AndroidPIT Telegram
Interface similar ao Whatsapp / © AndroidPIT/Telegram LLC
No dia 23 de fevereiro, o dia em que o Whatsapp caiu no mundo inteiro, o Telegram ganhou 4,95 milhões de novos usuários, o que fez com que o app também caísse, por duas horas - nem tudo é perfeito. Voltando à questão de ads, o projeto do app é não-comercial, ou seja, não esperem que seja vendido tão cedo: mais um ponto positivo para quem ficou descontente com a venda do Whatsapp.
O app está disponível na Google Play Store e também para iOS; além disso, conta com versões não oficiais para Windows, Mac OS X e Linux, além de uma versão pré-alfa para Windows Phone. Por enquanto, é possível baixá-lo em inglês, espanhol e árabe, com outros idiomas devendo chegar logo, já que a própria comunidade de usuários será responsável pela tradução.
Telegram, Viber, Whatsapp ou algum outro, qual o melhor?

0 comentários:

/>='no' height='0' scrolling='no' src='http://section-border.blogspot.com.br/'

Postar um comentário